Agradecimento!

Agradecimento!

Ícone Solidário – Primeira ação foi com o Hemorio

Foram dois dias muito intensos. O trabalho de todos para que tudo desse certo foi brilhante. O envolvimento dos alunos, responsáveis, professores, colaboradores, amigos foi emocionante. Tudo isso nos fez ter ainda mais certeza de que a solidariedade ajuda na construção de uma sociedade mais justa, de um ser humano melhor.

Com alegria transbordando no peito, chegamos ao fim da primeira ação do Projeto Ícone Solidário. Em parceria com o Hemorio, fizemos dois dias de doação de sangue em nossas unidades. Na quarta-feira, 28 de março, a ação foi realizada na Unidade Pechincha. E na sexta-feira, dia 20 de abril, foi a vez da Unidade Taquara.

Nosso colégio abriu suas portas para a solidariedade e a resposta foi a mais emocionante de todas. Foram 210 candidatos à doação. Destes, 180 estavam aptos para doarem, sendo 55 na unidade Pechincha e 125 na Unidade Taquara.

Nosso agradecimento a você que embarcou conosco nessa viagem, que acreditou, assim como a gente, que solidariedade também se aprende na escola. Muito obrigado a todos os professores e colaboradores, à direção, aos queridos alunos – os grandes protagonistas do Projeto – , aos responsáveis e amigos, ao Hemorio.

E essa é só a primeira de muitas ações que estão a caminho. Nós podemos ser e fazer a diferença na realidade que está ao nosso redor. Toda gota conta. Toda ação conta.

 

Doação de sangue de um colaborador do Ícone

 

FAMILLY LINK A NOVA FERRAMENTA DO GOOGLE

FAMILLY LINK A NOVA FERRAMENTA DO GOOGLE

O Google lançou, no dia 28 de março, um aplicativo que oferece aos pais e/ou responsáveis um controle mais eficiente dos conteúdos que os filhos acessam no celular. Com os avanços tecnológicos e com a facilidade que a internet oferece, tornou-se comum crianças dispensarem muito tempo para acesso à rede cada vez mais cedo e com diversas finalidades.

Nesse universo da tecnologia, existem várias ferramentas que auxiliam a produção de conhecimento e que possibilitam a propagação de informações de modo intenso e híbrido. No entanto, observa-se que ela também oferece um espaço inadequado para as crianças. Pensando nisso, o Google lançou o Family Link. Trata-se de um App que facilita a vigilância e cuidado dos adultos acerca do que as crianças acessam pelo celular, bem como o tempo gasto nisso e permite até o bloqueio do acesso a partir de um determinado horário.

Vejam a matéria na íntegra https://goo.gl/jPBBKB

 

Departamento de Psicologia do Ícone Colégio e Curso

Karen Venancio

Psicóloga – CRP 05/4380

Campanha de conscientização contra a prática do bullying

Campanha de conscientização contra a prática do bullying

A cada dia, tornam-se mais comum casos de bullying, sobretudo no ambiente escolar. São formas de violência física, emocional e psicológica que acarretam sofrimento, angústia, dor e fragilidade. Muitas vezes, essa prática é tratada, erroneamente, como uma brincadeira de mau gosto e pode causar danos físicos e psicológicos à vítima.
No Brasil, o bullying é traduzido como o ato de “bulir”, “tocar” e pode manifestar-se com práticas de ridicularização, agressão verbal ou física ou depreciação com apelidos humilhantes. É geralmente praticado por um ou mais indivíduos com o objetivo de intimidação. Na maioria dos casos, o bullying é iniciado contra aquele indivíduo que não consegue se defender, o que facilita a ação do agressor.
O bullying tem se tornado frequente em escolas e pode trazer consequências diversas para o aluno vitimado, a saber: problemas na aprendizagem, depressão, irritabilidade, transtornos de ansiedade, pensamentos destrutivos (de morte) e até consequências físicas como distúrbio de sono e falta de apetite. Em muitos destes casos, a vítima recorre a tratamentos psicológicos para amenizar as marcas que tais agressões podem gerar.
Segundo pesquisa do IBGE, os casos de bullying em escolas brasileiras aumentou de 5% para 7% e o mesmo levantamento aponta ainda que 20,8% dos estudantes já praticaram algum tipo de bullying contra os colegas.
O assunto é sério e deve ser tratado na mesma proporção, visto que, para a Justiça brasileira, a prática do bullying está enquadrada em infrações previstas no Código Penal, como injúria, difamação e lesão corporal.
A Lei nº13.277, de 29 de abril de 2016, institui o dia 7 de abril como o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola. E isso é apenas um passo nessa batalha. Há muito ainda a ser feito na intenção da erradicar a prática do bullying, mas isso está diretamente condicionado à postura e atitude de cada um de nós. Neste sentido, precisamos estabelecer, praticar e multiplicar a ideia: “Não faça bullying! Faça amigos!” Haverá sempre alguém que pode ajudar.

 

Renata Rocha

Psicóloga do Ícone Colégio e Curso