Vem aí o “Calourada Ícone”, a melhor semana do ano para o vestibulando! 

Vem aí o “Calourada Ícone”, a melhor semana do ano para o vestibulando! 

O evento corresponde a uma semana acadêmica em uma escola de Ensino Médio. Durante cinco tardes, ocorrerão atividades diversas: palestras sobre carreiras com profissionais convidados; esclarecimentos sobre estratégias para o ENEM e SISU; um grande Sarau Literário e a culminância com a tão aguardada ÍCONE FANTASY!!!

É uma semana com muitos ingredientes, no entanto, entre eles, certamente os principais são o afeto e a confiança, a base do Ícone, que é o lugar de gente feliz!

Programação

Segunda (30/07) Unidade Taquara

14:00 às 14:45     Palestra ENEM-SISU: Thiago Coutinho

14:45 às 15:30     Motivacional – Renata Rocha e Karen Venancio

15:30 às 16:15     Conheça o IFRJ: Igor Gonzalez

16:15 às 17:00     Dia do ex-aluno

 

Terça (31/07) Unidade Taquara

14:00 às 14:45    UERJ Presente – Lorena Bonomo

14:45 às 15:30    Carreiras: Psicologia – Daniela Navegantes

15:30 às 16:15    Carreiras: Direito – João Arantes

16:15 às 17:00    Carreiras: Comunicação – Philipe Rabelo

 

Quarta (01/08) Unidade Pechincha

14:00  Sarau Literário e Roda de conversa Tema: “Tempo Rei!”

Organizadora: Ana Carla Oliveira

Convidados: Armando Carreira, Luana Venancio, Thais Pires, Gisele Marques

 

Quinta (02/08) Unidade Taquara

14:00 às 14:45    Conheça a UFF

14:45 às 15:30    Carreiras: Medicina: Juliana Leal

15:30 às 16:15    Carreiras: História /Música : Frederico Barros

16:15 às 17:00    Engenharias: Mateus Lima, Francisco Lancelotte e Israel Melo

 

Sexta (03/08) Unidade Pechincha

14:00 às 18:00   Ícone Fantasy 2018 – Festa de Encerramento

 

 

logos das principais universidades do rio de janeiro

Ícone participa do XV MIRIN

Ícone participa do XV MIRIN

Quatro alunos do Ensino Médio do Ícone, orientados pela professora Sabrina Lang e pelo coordenador Thiago Coutinho, iniciaram, nesta manhã (23 de julho de 2018), a participação no XV MIRIN (Modelo Intercolegial de Relações Internacionais), realizado, no campus da PUC Gávea, de 23 até 27 de julho.

A simulação do MIRIN segue o modelo da ONU e objetiva expor os estudantes ao ambiente diplomático. Durante cinco dias, os alunos/delegados vivenciarão conferências simuladas, as quais reproduzem os procedimentos de negociação sobre temas de relevância internacional.

Nossos discentes estão divididos em dois comitês, a saber: OMS (Organização Mundial da Saúde) e Gabinete de guerra da Cisplatina.

Na OMS, discutirão propostas para “a garantia da saúde mental nos ambientes de trabalho e ensino. Nesse comitê, eles delegarão pelos seguintes países: Cuba (Rafaela Eloise – 1º ano); Líbia (Amanda Grossmann – 3º ano) e Singapura (Gabriel Araújo – 3º ano).

No comitê Gabinete de Guerra da Cisplatina, a aluna/delegada Ana Beatriz Santos (1º ano) representará o Presidente da Assembleia Geral Legislativa do Império Luís Pereira da Nóbrega de Sousa Coutinho.

Para nosso orgulho, encontramos, como membro da organização, nossa ex-aluna, Priscila Papagiannis, que cursa Relações Internacionais na PUC.

 

alunos do Ícone Colégio e Curso com a bandeira da instituição no XV Mirin

Alunos do Ícone no XV Mirin - Puc Rio

 

Copa das Emoções

Copa das Emoções

Em uma época onde os olhares estão voltados para o mundo do futebol  e todos querem acompanhar os jogos da Copa do Mundo, muito se tem falado sobre preparação física, alto rendimento dos atletas, treinos preparatórios e de reconhecimento de campo, expectativa por bons resultados que, inclusive, podem trazer ascensão na carreira de alguns e até mesmo contusões graves que podem adiar o sucesso de outros.

É fato que para todo jogador existe uma equipe trabalhando de forma interdisciplinar em busca dos melhores resultados e isto inclui profissionais do comportamento e emoções humanas, psicólogos e psicoterapeutas, que agregam conhecimento e prática para o desenvolvimento do gerenciamento das emoções dos jogadores, até mesmo quando os resultados esperados não são alcançados.

Lidar com a pressão dos campeonatos é uma rotina na vida de todo jogador, tanto antes quanto durante e até depois das partidas, e podem gerar desgastes físico e emocional. Sendo assim, é importante cuidar do corpo, mas também da mente. Aprender a controlar as emoções é essencial para melhorar a concentração e eliminar sintomas de ansiedade e depressão devida à grande pressão interna e externa da rotina do atleta. Conhecer seu potencial e conhecer-se a ponto de aceitar suas limitações são fatores importantes para não sofrer em excesso com as derrotas, saber que a pressão, estresse, derrota, irritabilidade fazem parte da vida de um atleta e aprender a controlar essas emoções, ter um objetivo e aprender a gerar sua automotivação e confiança fazem parte do pacote de como um jogador pode aumentar sua performance da inteligência emocional.

Diante disso, pensemos no seguinte: em nosso dia a dia como temos gerenciado a Copa das nossas emoções?

Todos os dias temos que conviver com as partidas que a vida coloca em nosso caminho: escola, trabalho, faculdade, família, sociedade. Nem sempre saberemos qual adversário teremos que enfrentar, ou seja, em algumas situações adversas (crises financeiras, desempregos, perda de um ente querido, doenças etc.), não teremos a oportunidade da preparação. Lidar com os obstáculos, frustrações e entender que a perda também faz parte e contribui para o aprendizado só é possível quando aprendemos a controlar (e alimentar) nosso “Eu forte” e praticar a gestão das nossas emoções em situações de estresse e sentimentos negativos.

Para nós, atletas da partida da vida, é necessário, antes de tudo, entender que não somos perfeitos e, apesar da tentativa em evitar, vamos errar e passar por situações imprevistas e precisamos nos reinventar a cada obstáculo, entendendo que há sempre uma grande lição a ser aprendida e outras possibilidades a serem construídas. A cada escolha feita, outra poderá ser deixada de lado, a cada degrau alcançado outros ficarão para trás e, à medida que crescemos, desenvolveremos a nossa resiliência e saberemos como lidar com as frustrações e perdas, sem deixar que os erros sejam cartões vermelhos que nos impedirão de continuar prosseguindo.

Ter um objetivo, uma meta a ser alcançada é saber que, durante o percurso, situações adversas acontecerão por fatores internos ou externos, mas também que podem nos impulsionar a querer alcançar os melhores resultados. Afinal, segundo Dr. Augusto Cury: “Ninguém é digno do pódio se não utilizar os fracassos para alcança-los”.

 

Renata Rocha

Psicóloga

Ícone Colégio e Curso